FMI: São Tomé e Príncipe economia estagnada

Terminou a 12 de Abril a última avaliação do FMI a São Tomé e Príncipe no quadro do Acordo de Facilidade de Crédito Alargado rubricado em 2015.

O FMI alerta para a estagnação da sua economia, um crescimento real do PIB de 4% em 2018 em vez dos 5% aniunciados pelo governo, aconselha a introdução do IVA e o pagamento da dívida externa a países como Angola, Nigéria, Guine Equatorial e Brasil.

O economista Zeferino Ceita, ligado ao ministério das finanças e membro do partido de oposição PCD, considera que o « crescimento do PIB não foi inclusivo e que agestão da política orçamental é má », sobretudo desde que dobra está « ancorada » ao euro, quando a economia informal domina neste país, que depende a 90% de recursos externos para os seus investimentos.