MULHERES GUINEENSES EXIGEM APLICAÇÃO EFETIVA DA LEI DA PARIDADE

A Guine-Bissau assinala hoje, 30 de Janeiro, « Dia da Mulher Guineense », em recordação da data da morte da heroína Titina Sila.

Este ano, a data é comemorada sob lema: « No sukuta voz di no mindjeris pa firmanta lei di paridadi na Guiné-Bissau » (Escutemos as vozes das mulheres sobre aplicação da lei da paridade na Guiné-Bissau).

Acompanhadas pela Primeira-Dama, as mulheres guineenses depositaram coroas de flores na praça Titina Sila, em Bissau.

Em 30 de janeiro de 1973, Titina Silá deslocou-se com alguns combatentes a bordo de uma piroga sobre o Rio Farim, no norte de Guiné Bissau, a fim de assistir as cerimônias fúnebres de Amílcar Cabral, em Conacri. A piroga foi descoberta e atacada por tropas colonialistas portugueses. Titina Silá ficou gravemente ferida e acabou por morrer afogada no mesmo local; o seu corpo nunca foi encontrado.

Em homenagem à essa grande e corajosa combatente, assim como tantas outras valentes mulheres guineenses, foi instituida a data de 30 Janeiro.

Em Bissau, uma estatua foi erguida em homenagem à Heroína Titina Sila.